Uma concorrente de peso

Um concorrente ao concurso Miss Inglaterra tem dado o que falar. Ela foge um pouco ao protótipo da moça que veste o maiô da Helena Rubinstein, mas tem convicções firmes. Leia o post do Bobnews.

Notícia do dia: Casamento de feio com bonita ‘tem mais chance de dar certo’

Contribuição: Leandro Muniz

Matéria da BBC Brasil publicada pelo Último Segundo relata uma pesquisa conduzida por cientistas americanos na qual se alude ao enorme potencial de felicidade que se encontra aberto para os feios. Clique aqui para ler a matéria.

Nadie tiene derecho a juzgar

Ensaio fotográfico publicado no MySpace sobre algumas categorias sociais freqüentemente marginalizadas. Clique aqui para ver

Uma típica mulher branca

Matéria publicada por um comentarista da rede ABC discute a tentativa de Barack Obama em explicar o que ele quis dizer quando afirmou que sua avó era uma típica mulher branca. Leia a matéria completa

O impacto da categorização mediante o uso de exemplares: Carlinhos

Contribuição: Greice Santos

 

Conceitos fundamentais: categorização

Processo de classificar pessoas e coisas como membros de um grupo ou categoria, similar a outros membros da categoria e diferente dos membros de uma outra categoria

Notícia do dia: sensíveis e afeminados

Matéria publicada no suplemento Gonline discute os preconceitos contra os homossexuais em particular contra aqueles classificados como afeminados. Leia aqui a matéria completa.

Gonline

Não julge o outro muito rapidamente

Fonte: Judging Others, de aaronjohnwerner

Conceitos fundamentais: esquemas mentais

chamada

Os esquemas se desenvolvem durante o processo de socialização a se constroem a partir da informação anteriormente disponível. O conhecimento prévio, assim como o contexto pode definir a forma de estruturação do conhecimento mais condizente com as circunstâncias particulares nas quais eles se manifestam, de forma que os esquemas estão sujeitos a algum tipo de diferenciação. A maneira pela qual alguém é definido e caracterizado como rico em uma pequena cidade no interior do Brasil e a definição de rico para um yuppie do Vale do Silício na Califórnia ou para as pessoas listadas na Fortune 500 certamente não é a mesma. De qualquer modo, seja qual for o esquema mental disponível, tanto a pessoa que vive no interior do Brasil, quando o morador do Vale do Silício sabe como se comportar, assim como imagina o que pode esperar das pessoas ricas que freqüentam o ambiente em que vive.
Outros autores, no entanto, expressam dúvidas sobre a viabilidade de considerar um esquema como um conteúdo aprendido através da experiência e tendem a considerar que os esquemas mentais podem ser categorizados como estruturas inatas. De acordo com este entendimento, por serem capazes de impor ordem ao desordenado mundo oferecido através das informações sensoriais, os esquemas se assemelhariam às categorias kantianas. Dado que eles independeriam da experiência, a validade do esquema deve ser considerada exclusivamente mediante o uso de operações lógicas, pois se os princípios matemáticos oferecem condições para organizar esquemas explicativos inteiramente lógicos, por que não interpretar as variadas formas com que se manifesta a experiência humana de acordo com estes mesmos princípios?
Fiske (1992), em um artigo publicado no Psychological Review, procura demonstrar, principalmente através de inferências indutivas, que as pessoas dispõe de alguns esquemas mentais elementares que são utilizados para construir e manter as suas inúmeras relações sociais. Estes esquemas seriam encontrados em todas as culturas, ostentando, portanto, o estatuto de universalidade e seriam suficientes para explicar todas as modalidades de relações sociais encontradas nas várias regiões do nosso planeta.

Fontes: Marcos E. Pereira. Introdução à Cognição Social. Manuscrito não publicado
Fiske, A. P. (1992). The four elementary forms of sociality: framework for a unified theory of social relations. Psychological Review, 99, 4, 689-723.