Estereótipos e humor?

Contribuição: Carmem Barbosa

O ministro francês, Brice Hortefeux, quase foi demitido por uma piadinha de mal gosto que fez em setembro passado, referindo-se aos árabes.
Ele disse: “Um [árabe] está bem, quando são vários é que há problema”.
Na época não entendi bem o comportamento do ministro, mas agora analisando este caso fiquei a me perguntar, como uma pessoa pública de repente, com aparente naturalidade, fala algo que soa tão grave.
O estereótipo está relacionado ao preconceito, que muitas vezes é expresso de forma tão natural, como se a pessoa dissesse: “Foi sem querer…eu não queria dizer isto”.Mas internamente está lá ELE.
Esta tendência à padronização, que estreita a visão individual, traz a tona apenas a percepção coletiva, reduzindo as pessoas a um modelo já anteriormente rotulado.
Para ver a matéria completa clique aqui

Estereótipos e cinema: Zohan

Contribuição: Thiago Falcão

A eterna luta entre israelitas e palestinos pela faixa de Gaza povoa jornais e noticiários de tevê mundo afora já desde algum tempo. A repercussão midiática associada ao conflito geralmente se concentra em tentar ser imparcial, apenas reportando ataques e negociações de paz muitas vezes infrutíferas.
Adam Sandler se aproveitou da essência cultural do conflito para escrever o roteiro da comédia ‘Zohan – o Agente Bom de Corte’ (You don’t Mess with Zohan, Columbia Pictures, 2008), que fala de um agente especial do exército israelita que cansa de lutar contra os palestinos e quer viajar para a América para perseguir seu sonho de ser cabeleireiro.

Chegando ao novo mundo, Zohan, interpretado pelo próprio Sandler, se depara com um cenário que para ele é intrigante: israelis e palestinos convivem diariamente no mesmo espaço urbano, deixando suas diferenças de lado porque precisam conviver com a imagem que o 11 de setembro deixou, do povo do oriente médio, no imaginário do povo americano.
O filme extrapola estereótipos de consumo e de comportamento dos povos do oriente médio para – obviamente – obter o efeito de comédia, mas numa análise um pouco mais cuidadosa, trabalha com vários elementos – culturais e cognitivos – inerentes à estrutura de desenvolvimento dos estereótipos.

Embora o filme trabalhe principalmente com a idéia de estereótipo dos povos do oriente médio, a diversidade racial americana – e os estereótipos a ela associados – também recebem certa atenção.

Notícia do dia: estereótipos dos árabes

Artigo publicado pelo website Ottawacitizen.com reclama o tratamento que a grande imprensa oferece aos árabes. O argumento central é o de que apesar de outros grupo estarem sendo apresentados de forma cada vez menos estereotipada, os árabes continuam sendo sistematicamente apresentados de forma estereotipadas: sheiks do petróleo ou terroristas. Clique aqui para ler a matéria completa. Esta notícia, aliás, lança luz sobre uma característica fundamental dos estereótipos, amiúde discutida na literatura: os estereótipos se manifestam de forma mais intensa nos subtipos.