Artigo publicado: Intergenerational Relationships and Female Inheritance Expectations

Título: Intergenerational Relationships and Female Inheritance Expectations: Comparative Results From Eight Societies in Asia, Europe, and North America

Autor: Bernhard Nauck

Periódico: Journal of Cross-Cultural Psychology 2010;41 690-705

Resumo: http://jcc.sagepub.com/cgi/content/abstract/41/5-6/652

Notícia do dia: Detenido un hombre en Marbella tras dejar a su hija de tres años en un coche para ir a un club de alterne

Deixou a filha de três anos no carro e foi flanar na zona. Clique aqui para ler a notícia publicada no El País.

Notícia do dia: docentes vítimas de alunos e pais

A vida de professor não é nada fácil. Além do trabalho estafante e dos baixos salários, ainda tem de suportar agressões como as relatadas na matéria publicada no jornal Correio da Masnhã, de Lisboa. Clique aqui para ler a notícia.

Artigo publicado: In Defense of National Character

Título: In Defense of National Character

Autor: Robert J. Smith

Periódico: Theory & Psychology 2008, 18, 443-464

Resumo: clique aqui para obter

Artigo publicado: Young Adult Romantic Relationships

Título: Young Adult Romantic : The Role of Parents’ Marital Problems and Relationship Efficacy

Autores: Ming Cui, Frank D. Fincham e B. Kay Pasley

Periódico: Personality and Social Psychology Bulletin 2008, 34, 1226-1235

Resumo: clique aqui para obter

A vingança dos caretas

Contribuição: Rafael de Oliveira

– Pai, precisamos conversar.
– Espere um pouco meu filho. Deixa o papai terminar de apertar esse baseado.
– (Saco…)
– Quer um tapinha meu filho?
– Pai, você sabe que eu não fumo. Aliás, o assunto tem a ver com isso. Essa porcaria é ilegal, é o que alimenta o tráfico, que por sua vez sustenta a violência que você tanto reclama e…
– Besteira! Esse daqui nem é comprado! Ganhei do vizinho, ele planta em casa. Não sei o que aconteceu com meu fornecedor….
– Eu queria falar sobre isso também.
– Pode se abrir aqui com seu velho.
– Talvez você não tenha percebido, mas desde pequeno eu tenho essa coisa que me sufoca, não consigo mais esconder.
– Pode dizer, você é homossexual? Eu entendo perfeitamente.
– Não pai, gosto da Renata, namoro com ela há dois anos. E antes dela tive três namoradas.
– Que desperdício! O filho do vizinho já comeu todo mundo; homem, mulher, cachorro, nada escapou. Só falta você me dizer que é fiel. Quando eu tinha sua idade eu participava de surubas que duravam a noite inteira.
– Eu sei, pai. Não precisa me lembrar. Pensei muito em como falar isso com você, mas acho que o melhor é falar de uma vez: Pai, eu sou careta.
– O que você está me dizendo, Zabaluê?
– Zabaluê não, pai! Eu mudei meu nome para Carlos há três anos.
– Como assim?! O nome que eu e sua mãe escolhemos com tanto carinho.
– Tem mais, pai. Sabe aquele emprego na ONG de direitos humanos? Era mentira, trabalho como policial civil há cinco anos.
– Que vergonha! Um filho meu policial! Não aceito! Ponha-se daqui para fora, Zabaluê!
– Carlos, pai. E se acalme. Eu já vou sair, mas ainda não acabou.
– O que mais falta você me dizer? Sua mãe já sabe disso?
– Sabe sim, pai. Ela entendeu. Até me desejou sorte na minha opção.
– Traição! Como ela teve coragem de fazer isso comigo?
– Lembra da eleição do ano passado? Votei no Bolsonaro.
– O QUÊ?!?!?!?!
– Tem mais. Estudei um pouco e não acredito que o comunismo seja solução para coisa alguma. O livre mercado…
– Cale-se! Como ousa defender o capitalismo dentro dessa casa? Onde foi que eu errei, meu Deus?
– Pai, você não acredita em Deus…
– Não me enche o saco! Todo mundo sabe que a religião é o ópio do povo.
– E o marxismo o ópio dos intelectuais.
– Como você tem coragem de falar uma coisa dessas? Olhe os exemplares d’O Capital ali na estante. Você os leu? Pelo menos sabe do que está falando?
– Tem também um tal de Adam Smith…
– Traidor! Saia daqui! Não agüento mais! Que vergonha! Um filho careta! De direita! E eu que dei todas as liberdades possíveis. O que deu errado?
– Pronto, pai. Falei. Estou indo. Só mais uma coisa: o seu fornecedor a gente grampeou semana passada. Você só não dançou ainda porque é meu pai. Mas é melhor andar na linha….

Fonte: http://josegedankien.blogspot.com/
%d blogueiros gostam disto: