Atividade 01

A01

  • Nível: Todos (doutorado, mestrado, especialização, graduação, extensão e atualização)
  • Estimativa de tempo: cinco minutos
  • Tópicos: crenças, credulidade, pesquisa, análise de dados
  • Objetivo: identificar e se posicionar sobre as próprias crenças.
  • Atividades:
    • 1) Clique aqui e em seguida responda ao questionário;
    • 2) Após participar, compare os resultado;
    • 3) retome a leitura de seção.

Artigo publicado: How Ideological Attitudes Predict Host Society Members’ Attitudes toward Immigrants

Título: How Ideological Attitudes Predict Host Society Members’ Attitudes toward Immigrants

Autores: Roberto González, David Sirlopú and Thomas Kessler

Periódico: Journal of Social Issues, 66, 4, 803-824

Abstract: clique aqui

A special Latin American acculturative context is currently developing in Chile in which native Chileans have contact with several immigrant groups, particularly newcomers from Peru. This study examines several intergroup variables including contact, national and Latino American identities, group distinctiveness, realistic threat, intergroup anxiety, and acculturation preferences as predictors of prejudice on the part of both Chilean natives and Peruvian immigrants. Three hundred Peruvian immigrants (194 females and 106 males) and 300 Chileans (199 females and 101 males) participated in the study. Acculturation preferences, perceived group distinctiveness, and especially intergroup contact were shown to be important predictors of prejudice toward out-group members. Intergroup anxiety and realistic threat mediated some of these effects. The pattern of these results also varied as a function of nationality. Theoretical as well as practical implications for further research are discussed.

Artigo publicado: Intraregional Migration, Direct Action Land Reform, and New Land Settlements

Título: Intraregional Migration, Direct Action Land Reform, and New Land Settlements in the Brazilian Amazon

Autores: Stephen G. Perz, Flavia Leite, Cynthia Simmons, Robert Walker, Stephen Aldrich and Marcellus Caldas

Periódico: Bulletin of Latin American Research, 29, 4, 459-476

Resumo: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1470-9856.2010.00384.x/abstract

Artigo publicado: Developing a Health Surveillance System for People With Intellectual Disabilities

Título: Developing a Health Surveillance System for People With Intellectual Disabilities in the United States

Autores: Gloria Krahn, Michael H. Fox, Vincent A. Campbell, Ismaila Ramon and George Jesien

Periódico: ournal of Policy and Practice in Intellectual Disabilities, 7, 3, 155-166

Resumo: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1741-1130.2010.00260.x/abstract

No país do futebol, preconceito contra as meninas

Contribuição: Carmem Barbosa

Pesquisa realizada pelo Instituto de Psicologia (IP) da USP diz que O preconceito é a principal causa de estresse emocional entre atletas de futebol feminino. “Esta foi minha primeira constatação. E é bom lembrar que o estresse emocional é prejudicial à saúde”, diz o professor Jorge Dorfman Knijnik, autor do estudo. Ele informa também que o esporte foi escolhido como tema por representar uma marca cultural brasileira. “O objetivo é discutir as relações sociais de gênero numa sociedade em que existe uma comparação ”natural” da mulher com o homem. E também provocar uma tomada de consciência que leve à criação de espaços esportivos não sexistas”.
O pesquisador entrevistou 33 atletas que disputaram o Campeonato Paulista Feminino de Futebol de 2004. Algumas dessas jogadoras compunham a Seleção Brasileira de Futebol Feminino que ganhou medalha de prata nas Olimpíadas de Atenas, em 2004. Ele relata que foi uma conquista histórica para o esporte, numa competição para a qual a equipe masculina nem chegou a se classificar. “Mesmo depois da vitória, a equipe feminina não recebeu nenhum tipo de incentivo”, lembra Dorfman.

Resultados da Pesquisa:
A pesquisa revelou que 57,14% das jogadoras entre 16 e 21 anos apontaram o preconceito como principal causa de estresse no futebol. Dentre as jogadoras entre 22 e 27 anos, essa mesma causa foi apontada por 50% delas.

Clique aqui para acessar a matéria completa.

Querendo ver a matéria original, acessar-