Notícia do dia: BBC pede desculpas por comentários estereotipados proferidos em um programa sobre jardinagem

Os estereótipos sempre se referem a grupos ou categorias sociais. Não podemos, portanto, fazer alusões a estereótipos de objetos. O que não significa dizer que alguns objetos não possam estar associados a uma grupo ou categoria social. Esta é a lição que a poderosa BBC aprendeu. Tudo por conta dos comentários apresentados em um programa de debates sobre jardinagem. A razão da discórdia foi uma pergunta, feita por um ouvinte, a respeito do cultivo da planta Rhodochiton volubilis, popularmente conhecida como BMW ou “black man’s willy”. Clique aqui para ler a matéria publicada no Daily Express.

black man's willy

A baianidade e seus subterfúgios

Salvador, Bahia, segunda-feira, oito horas da noite. Peguei um táxi para ir ao supermercado. O motorista, claro, com o rádio ligado. Um radialista , famoso por sua alacridade, passou a desancar, ao vivo e sem subterfúgios, a (falta) de educação do povo baiano. Não ficou pedra sobre pedra. Mijar em qualquer canto, parar o carro no meio da rua e atrapalhar o trânsito na maior desfaçatez, tratar qualquer um, independente de idade, sexo ou religião, de forma descortês, enfim, uma série de mazelas que quem vive na cidade de todos os santos conhece bem e de tão acostumado nem leva mais a sério. Claro que os comentários demandariam uma reflexão mais aprofundada a respeito dos muitos anos de desgoverno de um certo partido que tinha vergonha do próprio nome, da herança maldita deixada pelo império despótico do “senador do povo”, assim como da completa ausência de valores que parece imperar na nossa terra de ninguém. Não foi bem isto que se viu em seguida. Imediatamente o radialista mudou de assunto e passou a fazer troça, junto a um colega, de um habitual comentarista da rádio, que felizmente para o radialista e os seus colegas de batente, e infelizmente, ou não, para o alvo das gracinhas, não se encontrava presente. O teor dos comentários do radialista, assim como os termos e as expressões utilizadas, foram absolutamente impróprios para menores, e constrangedores, para não dizer outra coisa, para um ouvinte que não comunga com a esculhambação que se apossou da terra de Gregório de Matos. Longe deste que escreve ironizar ou mesmo desancar o radialista. Ele apenas reproduziu o que anteriormente criticara. Isto apenas demonstra quão fácil é ver os defeitos dos outros e como estes mesmos predicados podem ser interpretados como uma coisa positiva, a depender do alvo, da boa vontade e do estado de espírito de quem está julgando.