Tag: afeto

Resenha: Brites, J. Afeto e desigualdade: gênero, geração e classe entre empregadas domésticas e seus empregadores

Rose Luz Silva Perez O texto Afeto e desigualdade: gênero, geração e classe entre empregadas domésticas e seus empregadores foi escrito pela antropóloga e professora da Universidade Federal de Juiz de Fora, Jurema Brites. O texto consolidou-se como resultado da pesquisa etnográfica realizada por ela no período de 1995 a

Resenha: Afeto e desigualdade: gênero, geração e classe de empregadas domésticas e seus empregadores

Tainá Almeida De acordo com Donna Goldstein (2003), manter uma empregada doméstica é um sinal diacrítico na sociedade brasileira, que sinaliza a distância da pobreza. Porém, é preciso salientar que as relações entre patrões e empregadas da casa se dão de forma diferente no Brasil, pois envolvem uma troca afetiva

Biblioteca: inclusão de conteúdo

Acrescentado à biblioteca o artigo Afeto e desigualdade: gênero, geração e classe entre empregadas domésticas e seus empregadores, de Jurema Brites.

Artigo publicado: Reactions to Daily Events

Título: Cross-Cultural Differences in Reactions to Daily Events as Indicators of Cross-Cultural Differences in Self-Construction and Affect Autores: John B. Nezlek, Richard M. Sorrentino, Satoru Yasunaga, Yasunao Otsubo, Monica Allen, Sadafusa Kouhara, and Paul A. Shuper Periódico: Journal of Cross-Cultural Psychology 2008;39 685-702 Resumo: clique aqui para obter

Artigo publicado: Dimensions of Moral Conviction

Título: The Cognitive and Affective Dimensions of Moral Conviction: Implications for Attitudinal and Behavioral Measures of Interpersonal Tolerance Autores: Jennifer Cole Wright, Jerry Cullum, and Nicholas Schwab Periódico: Personality and Social Psychology Bulletin 2008;34 1461-1476 Resumo: clique aqui para obter

Notícia do dia: uma conversa face a face é capaz de persuadir uma mulher

Artigo publicado no jornal One India, de Tamilnadu, Índia, comenta os resultados da pesquisa recentemente publicada por Guadaldno e Cialdini, onde se sugere que a noção de que as mulheres são mais orientadas para os sentimentos, enquanto os homens para as tarefas é mais do que um simples estereótipo. Clique

Artigo publicado: War, memory, and the public mediation of affect

War, memory, and the public mediation of affect: The National World War II Memorial and American imperialism Autora: Erika Doss Periódico: Memory Studies,1, 227-250, 2008 Resumo: clique aqui para obter

Blog no WordPress.com.