Preconceito: O baiano e a preguiça

Contribuição: Clara Vasconcelos e Daiana Nogueira


Existe uma crença compartilhada de que o povo baiano, além de festivo e hospitaleiro, é também preguiçoso. Muito se fala de nossas festas, mas pouco se fala dos vários trabalhadores baianos que trabalham nestes momentos, enquanto os turistas se divertem em períodos como o Carnaval.
Uma tese de doutorado defendida na USP atesta justamente o contrário deste estereótipo, ou seja, traz a informação de que o povo baiano trabalha tanto quanto, ou até mais do que pessoas de outras regiões. O texto traz ainda os principais responsáveis pela criação e disseminação deste estereótipo, como os colonizadores portugueses, a mídia, os cantores e os próprios profissionais do turismo. Clique aqui para acessar a tese.

Estereótipos e anedotas: dois baianos e uma nota de cem

Contribuição: Laís Marques

Três da tarde. Dois baianos estão encostados numa árvore na beira da estrada.
De repente passa um carro a toda velocidade e deixa cair uma nota de cem reais que sai voando e cai do outro lado da estrada.
Depois de cinco minutos, um baiano fala para o outro:
— Ô, meu rei… Se o vento mudá a gente ganha o dia, oxente!

%d blogueiros gostam disto: