Preconceito: O baiano e a preguiça

Contribuição: Clara Vasconcelos e Daiana Nogueira


Existe uma crença compartilhada de que o povo baiano, além de festivo e hospitaleiro, é também preguiçoso. Muito se fala de nossas festas, mas pouco se fala dos vários trabalhadores baianos que trabalham nestes momentos, enquanto os turistas se divertem em períodos como o Carnaval.
Uma tese de doutorado defendida na USP atesta justamente o contrário deste estereótipo, ou seja, traz a informação de que o povo baiano trabalha tanto quanto, ou até mais do que pessoas de outras regiões. O texto traz ainda os principais responsáveis pela criação e disseminação deste estereótipo, como os colonizadores portugueses, a mídia, os cantores e os próprios profissionais do turismo. Clique aqui para acessar a tese.

Um comentário sobre “Preconceito: O baiano e a preguiça

  1. Uma representação totalmente equivocada, respaldada na idiossincrasia de um povo que tem por métodos e regras predefinido por uma rede de comunicação tendenciosa, sul e sudeste. Se analisarmos o contexto histórico e cultural dessas regiões, veremos que este processo se ancora numa situação provinciana com reflexos da emigração, no que tange aos negros africanos para a Bahia, enquanto sul e sudeste recebiam italianos, alemães, japoneses, supostamente dotado de uma cultura

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s