Anedotas: o alvo como avarento

Origem: Estados Unidos
Grupo alvo: Judeus

Um judeu, próspero empresário do ramo de confecções, ao se queixar com um amigo com quem conversava sobre as noites de insônias que estava passando, ouve o batido conselho de contar carneirinhos. Alguns dias mais tarde, mais exausto e deprimido do que nunca, reencontra o amigo que admirado lhe pergunta:
– Alguma coisa deu errada ?
– Estou com um problema com esta história de contar carneirinhos. Na noite passada cheguei a contar dois mil deles. Então eu pensei em tirar a lã dos mesmos e fazer vinte mil casacos. Daí passei o resto da noite preocupado como iria conseguir vinte mil forros para os casacos.

Post atualizado para a aula do dia 21/05/2009 (PSI684)

Anedotas: o alvo como avarento

Origem: Estados Unidos
Grupo alvo: Escoceses

Existia um escocês tão mesquinho e desconfiado que contava o próprio dinheiro em frente ao espelho para não ser passado para trás

Anedotas: o alvo como avarento

Origem: Estados Unidos
Grupo alvo: Escoceses

Era um escocês tão mesquinho e desconfiado que contava o próprio dinheiro em frente ao espelho para não ser passado para trás

Anedotas: o alvo como avarento

Origem: França
Grupo Alvo: Escoceses:

“É terrível”, comentou um escocês, “mas eu nunca consigo tomar uma xícara de café do jeito que eu gosto. Lá em casa, como a ordem é economizar, eu só coloco uma colher de açúcar. Na caso dos outros, como não sou eu que estou pagando, sirvo-me de três colheres. O que eu gostaria mesmo seria de tomar café com duas colheres de açúcar.”

%d blogueiros gostam disto: