Conceitos fundamentais: teorias implícitas da personalidade

chamada

O conceito de teorias implícitas da personalidade foi introduzido por Bruner e Taguiri no capítulo sobre a percepção das pessoas que escreveram para a edição de 1954 do Handbook of Social Psychology, organizada por Gardner Lindzey. A suposição central nestas teorias é a de que as pessoas ao se sentirem informadas a respeito dos traços centrais de um indivíduo elaboram uma representação geral a respeito desta pessoa como um todo. Se alguém é reconhecido como uma pessoa tranqüila e calma, possivelmente outras pessoas tenderão a acrescentar que ela também é cuidadosa, metódica e organizada. Isto ocorre porque os traços psicológicos não são vistos como independentes uns dos outros; o fato deles estarem associados de uma forma lógica permite que sejam desenvolvidas inferências a respeito da constelação total de traços que representa melhor aquela pessoa. Esta representação funciona como uma teoria, permitindo explicar as ações do indivíduo e fazer previsões sobre o seu comportamento futuro.
Mais ou menos na mesma época, um importante teórico da personalidade, George Kelly, desenvolveu uma outra modalidade de psicologia implícita, a psicologia dos constructos pessoais (Kelly, 1955), que compartilhava preocupações semelhantes aquelas com as apresentadas por Bruner e Taguiri. O princípio fundamental defendido por Kelly era o de que as pessoas usualmente agem como cientistas e tentam usar a intuição e o raciocínio para entender como as coisas podem ser interpretadas, assim como para elaborar predições sobre o curso futuro dos acontecimentos. Para tal, elas desenvolvem hipóteses e em seguida procuram obter os dados necessários para confirmar ou refutar tais hipóteses e, neste último caso, elas imediatamente alteram as suas teorias pessoais e procuram obter mais dados que podem ou não confirmar esta nova teoria. Para Kelly as pessoas agem como cientistas e procuram constantemente submeter a teste os seus constructos pessoais, entendidos como a estruturas interpretativas capazes de oferecer explicações razoáveis para os eventos que ocorrem com elas mesmas e com as outras pessoas.

Fonte: Marcos E. Pereira. Introdução à Cognição Social. Manuscrito não publicado
Teoria realista do conflito
Heurísticas e vieses
Heurística da acessibilidade
Heurística da representatividade
Heurística da ancoragem e ajustamento
Esquemas de grupo
Gerenciamento de impressões
Protótipos e exemplares
Correlação ilusória
Avaro cognitivo

5 comentários sobre “Conceitos fundamentais: teorias implícitas da personalidade

  1. Sendo a personalidade não uma entidade cristalizada, mas, ideoplastizada que confere qualidades ao indivíduo, partimos de pressupostos errôneos de que aqele sujeito é tranquilo, é pacífico é honesto e etc.
    Segundo Brenner(1957: “todo comportamento é determinado – isto é, forçosamente causado”. E ainda este autor, “nem sempre estamos cônscios de nosso comportamento e de suas causas”. Assim concluo que pelo determinismo existem relações forçosas e legítimas entre causas e efeitos.
    Baseado nisso, na minha opinião a personalidade ganha atributos dinâmicos.

  2. Tem sim, mas no blog será difícil achar alguma coisa sobre elas.

    Procura no google pelo sobrenome dos autores, as mais famosas são:

    1) Psicologia Cognitiva dos Olhos Globais, Recordais e Essebetentes (Bonner e Bernardes)

    2) Terapia Comportamental das Relações Humanas de Goldschimit, testes utilizando um Polígrafo (Goldschimit)

    3) Análise do Comportamento em Perspectivas Holísticas do Fenômeno Penta-mundial à Grande Massa Paulista e suas implicações na Psicologia do Esporte (Bueno, Coelho e Casagrande)

    Elas estão bem relacionadas com a Psicologia Analítica do Comportamento Astrológico-Preditivo pela Semiótica Zodiacal.

    Boa sorte!

  3. Marcus, muito obrigado pelas sugestoes mas procurei no google e não encontrei bem ao certo a informaçao que pretenda. Vou passar a explicar e peço lhe que me dê uma ajuda no que puder além de locais para a pesquisa.. desde ja um muito obrigado:

    No âmbito da disciplina de Filosofia foi-me proposto pelo meu professor a realização de
    um trabalho acerca da bioética(problemas associados como a modificação do genoma humano,
    clonagem, etc), e, o grupo em que esttou inserido, decidiu fazer um trabalho iniciado com
    a explicação de o que é a bioetica, falando de seguida de genetica e modificação do
    genoma, relacionando tudo isso com a cor dos olhos das pessoas e o que ela define nas
    mesmas segundo teorias implicitas do conhecimento, entre outros.

    foi devido a isto que coloquei o meu primeiro comentario.. Algo mais realcionado com a filosofia.
    aquardo resposta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s