Conceitos fundamentais: a correlação ilusória

Durante a disputa da Copa do Brasil de futebol, no ano de 2007, a gloriosa equipe do Botafogo de Futebol e Regatas foi visivelmente prejudicada pela arbitragem durante o confronto com uma outra equipe numa etapa avançada da competição. No dia seguinte, o técnico, os torcedores e alguns dirigentes fizeram uma série de declarações na imprensa, nas quais as reclamações com arbitragem eram a tônica. Tudo não seria mais do que uma típica reclamação dos perdedores que se segue à derrota em uma partida importante, se o alvo principal das reclamações não fosse uma auxiliar de linha. Do sexo feminino. Um dirigente chegou mesmo a insinuar sobre a falta de propriedade na escolha de mulheres para arbitrar partidas disputadas por homens, sugerindo que a auxiliar, após a jornada infeliz, fosse definitivamente excluída do quadro de árbitros da Confederação Brasileira de Futebol. Por certo, a entidade máxima do futebol brasileiro se sentiu sensibilizada e face às reações da imprensa e dos dirigentes, na própria semana da atuação desastrosa da auxiliar prescindiu temporariamente dos serviços da ilustre senhora em torneios oficiais
Se erros de arbitragem em partidas de futebol ocorrem em praticamente todos os jogos, por que uma reação tão desmedida em relação aos erros da auxiliar? Simplesmente porque ela é mulher…e mulheres auxiliares de arbitragem são raras. Se dois eventos que chamam a atenção, uma senhora auxiliar de linha e um erro escandaloso de arbitragem aparecem associados, cria-se uma ilusão de que os dois eventos estão sempre associados. Daí a expressão correlação ilusória, para fazer referência a uma associação indevida entre dois acontecimentos incomuns, o que leva o a pessoa a decidir que um evento sempre se encontra associado ao outro. Desta forma, o processo de correlação ilusória cria a associação mulheres-erros de arbitragem e esta associação termina por fazer que dirigentes dos clubes mais afoitos solicitem a exclusão de auxiliares de linha do sexo feminino, pois futebol é coisa de macho, e impele os dirigentes da comissão de arbitragem a excluir, mesmo que temporariamente e sem nenhum pudor, alguém que cometeu um erro, um tanto grosseiro, é verdade, mas quase semelhante aos que ocorrem semanalmente nos milhares de campos de futebol espalhados pelo planeta.
A expressão correlação ilusória se refere a uma suposição incorreta de que existe uma alta correlação entre dois itens que não são usuais ou são raros, foi utilizada por Chapman (1967) para explicar a tendência dos participantes de um estudo experimental em fazer uma estimativa exagerada da freqüência de apresentação de palavras com uma extensão exageradamente alta. A idéia subjacente a este conceito era a de que palavras excepcionalmente longas, mesmo sendo apresentadas com a mesma freqüência do que as palavras com menos sílabas, por serem pouco usuais chamavam mais a atenção, o que fazia com que elas fossem evocadas com mais facilidade e isto terminava por levar o participante a acreditar que eram palavras mais freqüentes.
O princípio da correlação ilusória foi adotado algum tempo depois pelos estudiosos dos estereótipos para a explicação da persistência de estereótipos errôneos a respeito dos membros dos grupos minoritários. Neste sentido, a correlação ilusória pode ser interpretada como um viés de codificação decorrente da avaliação imprópria da co-ocorrência ou da co-variação de dois ou mais grupos de eventos e envolve a estimativa exagerada da ocorrência de eventos que se supõem associados.

Um comentário sobre “Conceitos fundamentais: a correlação ilusória

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s