Estereótipos, gênero e etnia: gauchos gay

Contribuição: André Oliveira

Autor: Marcos E. Pereira

Professor do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (Mestrado e Doutorado) da Universidade Federal da Bahia. O currículo Lattes pode ser acessado no site http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4799492A6

Uma consideração sobre “Estereótipos, gênero e etnia: gauchos gay”

  1. Várias coisas são feitas para nos induzir ao prejulgamento e quando o fazemos em sua maioria erramos. Constantemente somos traidos pela nossa percepção, o que me manda com muita cautela analisar friamente o que vejo.
    Na minha concepção, dois homens abraçados ou escondendo o rosto não me induz a caracterizá-los como gays.
    Para que, com segurança, eu externe esta opinião, é preciso que eu veja os caracteres hormonais dos indivíduos bem como atos claros praticados um com o outro do mesmo gênero, entenda, não vale o que alguém me contou. Pois, para mim, esta cena induz a uma avaliação errônea no que tange a homossexualidade, entretanto, digo, até prova ao contrário que pode ser dois homens na prática de um abraço fraternal e escondendo o rosto por uma razão de preconceito sofrido.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s