Hipótese 1

Distribuição da ordem de preferência das crenças

Antes de passar ao teste de hipótese 1, relataremos a ordem de importância das crenças, tais como se encontravam antes (até março de 2020) e após o início da epidemia (abril e maio de 2020).

Antes da pandemia

ordem de preferência das crença
  • Ordem de importância das crenças:
  • genética,
  • átomos e moléculas,
  • teoria da evolução,
  • deus,
  • aquecimento global
  • vacinas,
  • big bang
  • milagres,
  • céu,
  • anjos,
  • diabo,
  • inferno

Resultados até o dia 12 de maio de 2020

Distribuição das crenças, em ordem de importância

A crença em deus, com o início da pandemia, ganha importância e passa a ocupar a primeira posição. A ordem entre as crenças cientificamente justificadas sofre uma leve transformação, pois importância das vacinas ultrapassa a crença no aquecimento global. Esta última crença, em termos de importância, perde importância, passando a ser vista como menos importante do que algumas crenças tradicionais, a exemplo do céu, dos milagres e dos anjos. Ainda que a ordem das crenças tradicionais não tenha sofrido qualquer alteração, as evidências apontam que estas crenças tradicionais passam a ostentar uma importância que não apresentavam previamente. No geral, as estruturas internas da distribuição das duas categorias de crenças, as CT (tradicionais) e as CJ (cientificamente justificadas), não sofreram mudanças significativas quando comparada com a etapa anterior da pesquisa.

Teste da hipótese 1: as crenças justificadas se correlacionarão positivamente entre si

Para testar a hipótese elaboramos uma matriz e correlação entre as seis crenças justificadas. Conforme o gráfico abaixo, no qual se encontra registrado os valore e a intensidade das correlações entre as seis crenças cientificamente justificadas, todas as crenças se mostraram positivamente correlacionadas.

Para avaliar a possibilidade de criar uma nova variável, agrupando todas as seis crenças tradicionais, rodamos uma rotina de análise da confiabilidade, o que nos permitiu obter um alpha de Cronbach de 0,91, uma bom indicador de consistência interna dos itens. Este resultado permitiu a elaboração de uma medida unificada de importância das crenças tradicionais, calculado pela média das posições de todos os itens.

A média da posição das crenças cientificamente justificadas (CT) atingiu o valor de 5,6 e um desvio-padrão de 2,0. O gráfico apresentado a seguir indica a distribuição da ordem de importância do conjunto das CJ, onde se observa claramente uma forte concentração nas camadas inferiores, entre as posições 3 e 6, um indicador de que, em conjunto, estas crenças ocupam posições de maior importância.

Voltar à página de discussão das hipóteses

Blog no WordPress.com.
%d blogueiros gostam disto: