Resenha: estereótipos sociais de universitários em relação aos ambientalistas

Lucas Gondim Da Silva

Abalizado por Dias (2000), inicialmente, o texto introduz a temática das relações homem-natureza, relatando que, principalmente através da filosofia, das artes, da ciência e da religião, oriente e ocidente preocupam-se com os problemas ambientais desde a antiguidade. Segundo este mesmo autor, a preocupação ambientalista tem sua divulgação aumentada cada vez mais. O artigo também versa sobre o surgimento de movimentos ambientalistas, que, tidos como marco histórico-político internacional, engendrou-se por conta da tomada de consciência sobre a exploração predatória de recursos naturais e da evidente queda na qualidade ambiental, fruto da busca indiscriminada por lucros.
A proliferação de movimentos ambientalistas e de grupos sociais envolvidos com esta questão é tida como conseqüência da preocupação com essa temática. O fortalecimento dos movimentos ambientais atuais, em suas diversas nuances, é apontado como decorrente da percepção do quadro mundial de degradação ambiental. Viola (1987) é citado como diferenciador de três períodos na história deste movimento no Brasil: de 1974 a 1981, de 1982 a 1985 e a partir de 1986. Neste intere, houve uma transição de um movimento inicialmente apolítico para o surgimento da ecopolítica, com a participação ativa do movimento ecológico na cena partidária. A partir de então, surgem os ambientalistas, que, segundo Grisi (200) apesar da forte ligação com o termo ecologista, tem diferenças significativas, sendo o ambientalista associado ao movimento social de mesmo nome, que prega a valorização dos desejos culturais e da natureza, não unicamente dos meios de produção. Já o ecólogo seria o cientista que estuda a ecologia. Em seguida, o termo ambientalista é explicado pela concepção de mais autores. Chega-se, então, à conclusão de pode referir-se tanto ao interessado pelo meio ambiente como ao envolvido na preservação do meio ambiente. Explicita-se que o artigo refere-se ao ambientalista a partir de suas ações, de sua militância preservacionista.
Na seqüencia, o trabalho introduz a noção de que a questão ambiental é de escopo psicossocial, oferecendo uma breve explicação sobre as inter-relações homem-meio e como esta é usada para atrair a atenção de novos adeptos à causa. Em seguida, fala-se sobre a formação de certas crenças influenciadoras na percepção de determinados grupos sobre os ambientalistas, entre os quais se encontra o grupo de estudantes universitários, foco da pesquisa base deste artigo.
É introduzido, então, o conceito de estereótipos, desde o plano etimológico às definições de vários autores como Tajfel, Turner, Braly, Martinez, Morales e Pereira. Também são relatados estudos acerca dos estereótipos e, então, o artigo tem esclarecido o objetivo de realizar uma investigação exploratória descritiva dos estereótipos, acerca de ambientalistas, com a participação de estudantes universitários.
Na seção de métodos, fala-se sobre a amostra, que contou com 325 estudantes universitários, em média com 24 anos, de ambos os sexos e de cursos de ciências humanas, saúde e tecnologia. O instrumento é apresentado, sendo explicado o processo que vai da avaliação preliminar à verificação de necessidade de ajustes nas instruções, uma segunda versão e posterior correção, resultando em uma folha em branco na qual os participantes deveriam relacionar livremente atributos negativos e positivos dos ambientalistas. O procedimento consistiu em os participantes responderem aos questionários individualmente, com posterior processamento e análise dos dados pelo programa estatístico SPSS.
Em resultados e discussões, esclarece-se o intento de procurar através da palavra estímulo “ambientalistas” averiguar os conteúdos definidores deste construto, objetivando –se achar uma visão socialmente compartilhada sobre estes atores sociais. Através de análises de sinonímias e idiossincrasias, houve a categorização geradora de categorias que expressavam tanto a visão positiva como a visão negativa associada aos ambientalistas e uma terceira categoria, que não se encaixava em visões grupais, sendo por isso descartadas. Após a análise das categorias obtidas, constata-se que as mesmas podem ser estruturadas em núcleos de significação, sendo estes a dimensão política, dimensão ecológica e dimensão pessoal. Cada um desses eixos é interpretado como componente de uma dimensão semântica específica. Esta permite, já num nível interpretativo, compreender a estruturação dos significados em cada núcleo de significação. Tais dados permitiram a organização de atributos de estereotipia.
A análise seguinte permite concluir que há indicadores de estereótipos representativos acerca dos ambientalistas e que, considerando que o estereótipo faz parte da dimensão cognitiva da estrutura atitudinal dos indivíduos, supõe-se que essa visão social interfere diretamente no envolvimento afetivo-avaliativo e comportamental com as questões ambientais. Tal conclusão pode ser verificada empiricamente tanto através do comportamento pró-ambiental como das atitudes frente aos ambientalistas e da formação de discursos diferenciados sobre o tema, mas que se relacionam entre si. Pode-se, então, através do enfoque da Psicologia Social, estudar a preocupação ambiental e promover o melhor entendimento da questão e políticas efetivas no escopo socioambiental. Os resultados obtidos através deste estudo podem contribuir efetivamente para o aumento da eficácia das ações dos ambientalistas junto à opinião pública e também através do conhecimento da dinâmica psicossocial envolvida na questão ambiental.

Referência: Moreira, E., Costa, J., Costa, R. e Araújo, L. Estereótipos sociais de universitários em relação aos ambientalistas. Estudos de Psicologia (PUC-Campinas), 21, 2, 117-127, 2002

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s